MIKEY WRIGHT ANUNCIA SAÍDA DO CT APÓS ETAPA DO MÉXICO

Este está a ser um ano marcado por muitas despedidas no circuito mundial.

Embalado por um triunfo convincente num dos melhores heats da ronda inaugural do Corona Open México, a sétima e penúltima etapa da fase regular do CT 2021, Mikey Wright aproveitou a oportunidade para anunciar a saída do Tour após esta etapa. O talentoso surfista australiano, de apenas 24 anos, justificou a decisão com o facto de querer voltar a dedicar-se exclusivamente ao free surf.

Wright, que tem competido no CT como substituto, devido às muitas lesões existentes, começou de forma triunfal a etapa mexicana, num heat em que somou 12,73 pontos e deixou o irmão Owen Wright no segundo posto, com o brasileiro e top seed Yago Dora a ser atirado para a repescagem. Foi, então, durante a flash interview após o heat que Mikey decidiu anunciar a sua intenção de pendurar a licra.

“É muito bom estar aqui, a competir numa onda icónica como a de Barra de la Cruz, mas na realidade este vai ser o meu último evento no Tour, porque quero regressar ao free surf”, começou por dizer Mikey, o mais novo do clã Wright, que na elite mundial conta ainda com a bicampeã mundial Tyler. “Quero voltar a perseguir os melhores swells e a fazer vídeos. Foi uma passagem rápida, mas divertida pela competição. Estou ansioso pelo próximo ano”, frisou.

A carreira de Mikey Wright no CT começou quase por “acidente”, uma vez que o australiano nunca conseguiu a qualificação por via do circuito QS. Em 2018 recebeu um wildcard para a primeira etapa do ano, na Gold Coast, mas já era habitual em anos anteriores. Só que dessa vez brilhou bem alto ao terminar no 9.º posto, depois de eliminar John John Florence e Gabriel Medina.

Após esse brilharete em que colocou em sentido os maiores nomes do surf mundial, a WSL não perdeu a oportunidade e cedeu novo convite para as etapas seguintes. Mikey foi aproveitando, apesar das críticas que a situação mereceu, e de convite em convite acabou a temporada dentro do top 22 mundial, no 12.º posto, garantindo a entrada a tempo inteiro no CT de 2019, depois de ter sido 3.º na etapa de Bali e também de Uluwatu.

No ano seguinte fazia a estreia como surfista a tempo inteiro do circuito mundial, mas uma lesão acabou por fazer com que apenas competisse nas três primeiras etapas do ano. Só que como os casos de lesões foram muitos, o australiano viu-se obrigado a competir com o italiano Leo Fioravanti num surf off por uma das vagas de lesão no CT 2021. O duelo aconteceu em Pipeline, antes da primeira etapa do ano. Mikey venceu o primeiro embate à melhor de três, mas Fioravanti acabou por operar a reviravolta e ficar com a vaga.

Só que as lesões continuaram a ser muitas entre a elite mundial e Wright voltou a beneficiar de wildcards para ir entrando nas etapas seguintes. Até ao presente não falhou qualquer etapa, mas o melhor resultado que conseguiu foi um 9.º lugar em Rottnest Island, no Oeste australiano. Atualmente no 33.º posto do ranking e longe de conseguir a requalificação, Mikey anunciou, assim, o adeus à vida de competidor.

Este está a ser um ano marcado por muitas despedidas no circuito mundial, o que vai deixar um vazio geracional grande. Embora o caso de Mikey Wright seja diferente, uma vez que é um surfista novo e apenas vai mudar de estilo de vida, mantendo-se como profissional mas de free surf. Algo que ainda é rentável economicamente num país como a Austrália.

A ele juntam-se ainda o brasileiro Adriano de Souza e o australiano Ace Buchan, que já tinham anunciado no início da época que este seria o ano de despedida, e ainda o francês Jeremy Flores e o australiano Julian Wilson, que anunciaram mais recentemente o adeus às competições. Em sentido inverso, o veteraníssimo Kelly Slater parece de pedra e cal no Tour, preparando-se para fazer 50 primaveras no próximo ano.

Scroll to top